top of page

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

História de São Luís Guanella

Pai do Pobres*

"O mais abandonado entre todos, recolhei-o vós e colocai-o à mesa convosco e fazei-o vosso, porque este é Jesus"

São Luís Guanella

O Pe. Luís Guanella nasceu em Fracíscio de Campodolcino – Sôndrio – no dia 19 de dezembro de 1842, tendo como pais Lourenço Guanella e Maria Bianchi. Fez seus estudos no Colégio Gallio e no seminário Diocesano, em Como/Itália, onde no dia 26 de maio de 1866, foi ordenado sacerdote. Durante nove anos exerceu o seu apostolado sacerdotal na Diocese, primeiramente em Prosto, depois em Savogno.

 

Seguindo o impulso interior, solicitado por sinais divinos, levado pelo desejo de socorrer os pequenos e infelizes, procurou o seu caminho ao lado de Dom Bosco (fundador dos Salesianos), que o acolheu e, durante três anos – 1875 a 1878 – de convivência mútua, ficou-lhe muito afeiçoado e esperava tê-lo como padre salesiano.

 

Mas Guanella foi chamado novamente à Diocese de Como, onde voltou a trabalhar com confiança e esperança, a fim de que, como costumava dizer, soasse a hora da misericórdia de Deus para iniciar as suas Obras de caridade, às quais sentia atração inata e vocação divina. Entre dificuldades de todo tipo, desconfianças, incompreensões, perseguições, via desfazer-se ao nascer, qualquer tentativa de iniciar as suas Obras. Mas, forte na fé, esperou a sua hora (a hora da Providência divina).

 

Tendo sido enviado a Pianello Lario, em nome da obediência, para suceder o pároco, Pe. Carlos Coppini, encontrou a seguinte herança: um pequeno grupo de irmãs  religiosas, formadas para a piedade e o sacrifício. Cinco anos foram suficientes para que esse pequeno grupo crescesse e ousasse colocar-se nas pegadas do Pai. Numa noite de abril de 1886, um pequeno barco deixava o cais de Pianello. Dentro, além do barqueiro, havia duas freiras, algumas meninas órfãs e alguns pobres objetos domésticos. Após uma noite de viagem chegaram a Como, onde foram recebidas pelo próprio Pe. Luís Guanella, que já havia preparado para elas uma sede localizada na Rua Tomaso Grossi.

 

Em Como a Obra se consolida ainda entre provas, contrastes e perseguições. Mas o grão se torna espiga. As Casas se multiplicam. As duas Congregações fundadas por Guanella – Padres e Irmãos Servos da Caridade e as Irmãs Filhas de Santa Maria da Providência – ajudam-no a estender a assistência aos “Benjamins da Providência”, ou seja, velhos abandonados ou crônicos, deficientes físicos e mentais, crianças órfãs ou necessitadas, tanto na Itália como em outros países. Em 1903, com a Bênção e a generosa ajuda de São Pio X, Guanella baixa suas tendas em Roma. Incansável, com quase 70 anos de idade, viaja para a América do Norte em 1912, fundando ali sua Obra de caridade.

 

Em janeiro de 1915 acorre em socorro das vítimas do terremoto de Marsica, hospedando os sobreviventes – órfãos e velhos – nas Casas de Roma. Foi esse trabalho que reduziu suas forças e acelerou a sua morte, que ocorreu em Como no dia 24 de outubro de 1915, tornado-o mártir da caridade.

 

Depois de um processo canônico regular, durante o qual foi reconhecido o heroísmo de suas virtudes, como também sua santidade de vida, foi declarado Beato por Paulo VI, no dia 25 de outubro de 1964.

 

Os seus filhos e filhas continuam sua Obra na Itália e em muitos outros países, tais como Suíça, Espanha, Estados Unidos, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Israel e em muitas outras nações. As duas Congregações fundadas por Guanella continuam abertas ao mundo inteiro, desde que haja braços que se unam aos seus para ajudar os necessitados no corpo e/ou no espírito. O Pe. Guanella definia os horizontes deste mundo com as seguintes palavras: “O mundo inteiro é vossa Pátria”.

bottom of page